Blog

Novembro Azul: saiba quais são os principais exames que verificam a saúde da próstata

13 de novembro
O Novembro Azul iniciou em 2003, na Austrália, quando dois amigos deixaram o bigode crescer com um propósito: destacar a importância do cuidado com a saúde dos homens. Ao longo da última década, a ação chegou a centenas de países e tornou-se mundialmente conhecida como a campanha de conscientização sobre o câncer de próstata.
 
No Brasil, esse é o segundo tipo de tumor mais comum entre os homens, atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. A estimativa do Instituto Nacional de Câncer (Inca) é que, a cada ano do triênio 2020/2022, 65.840 novos casos da doença sejam registrados no país. 
 
O câncer de próstata não costuma apresentar sintomas em estágios iniciais. Por isso, o Novembro Azul destaca a importância da prevenção e diagnóstico precoce da doença. 
 
As autoridades de saúde orientam que os homens, independentemente da etnia, realizem o exame de toque retal e o exame de sangue PSA a partir dos 50 anos. Homens negros e/ou com histórico de câncer de próstata na família devem iniciar uma triagem a partir dos 45 anos.
 
O exame de toque retal, muitas vezes evitado pelos homens por conta do preconceito, é fundamental para o diagnóstico precoce do câncer de próstata. Mas, além desse, há outros procedimentos que verificam a saúde dessa glândula. Confira quais são eles:
 
1) Exame de sangue PSA
Simples, o procedimento verifica a presença do antígeno prostático específico (PSA, na sigla em inglês) na corrente sanguínea. Em homens com câncer de próstata assintomático, é frequente o aumento deste marcador tumoral. No entanto, o valor do PSA pode aumentar em homens com idade avançada, com inflamação ou infecção na próstata.
 
Três dias antes de realizar o exame, o paciente não deve manter relações sexuais e deve evitar a prática de ciclismo, hipismo e motocilismo. Além disso, não deve fazer o exame de toque retal, pois o procedimento pode aumentar o valor do PSA.
 
2) Exame de toque real
Infelizmente cercado de tabus e preconceitos, o exame de toque retal é muito importante para verificar a saúde da próstata. O procedimento é simples e realizado por um urologista em consultório. 
 
Com duração de menos de 30 segundos, o exame é fundamental para que o médico avalie a presença de possíveis caroços ou se a glândula está maior ou mais dura do que o normal. O exame de toque retal não exige nenhum preparo do paciente.
 
3) Exame de urina em laboratório
Caso o exame de PSA e/ou o exame de toque retal tenham alterações, o médico pode solicitar outros procedimentos. Um deles é o exame de urina em laboratório, o chamado PCA 3.
 
O PCA 3 é específico para avaliar o câncer de próstata e mostra a agressividade do tumor. Ou seja, é fundamental para que o urologista avalie qual o melhor tratamento a ser adotado com o paciente. Nesse caso, a coleta da urina deve ser realizada logo após o exame de toque retal.
 
4) Ultrassonografia transretal
Indicada apenas em caso de alterações nas triagens iniciais, a ultrassonografia transretal ou ecografia de próstata avalia o tamanho da glândula e identifica facilmente mudanças na próstata. Assim, diagnostica formações cancerígenas desde o início.
 
Geralmente, é neste momento que o urologista retira um pequeno pedaço da próstata para que ela seja enviada a um laboratório. É aí que entra em cena um quinto exame: a biópsia, que verifica, em detalhes, toda a estrutura prostática.
 
A ultrassonografia transretal não necessita de preparo. Mas, em alguns casos, o médico pode solicitar o uso de laxantes para esvaziar o intestino.
 
Homem que é homem cuida da saúde! Consulte o seu médico regularmente e não tenha medo! Lembre-se de que a prevenção é o melhor caminho. Por isso, adote hábitos de vida saudáveis! Alimente-se bem, pratique pelo menos 30 minutos de exercícios físicos diários, não fume e evite o consumo de bebidas alcoólicas. Combinado?
Voltar

Parceiros